Você está aqui:

PIBIC

O Programa de Bolsas de Iniciação Cientifica é voltado para o estudante de graduação, e tem como objetivos:

  • despertar a vocação cientifica e incentivar novos talentos potenciais entre estudantes de
    graduação;
  • fomentar, instrucionalmente, a iniciação à pesquisa para alunos de graduação;
  • estimular maior articulação entre graduação e pós-graduação;
  • contribuir para a formação de recursos humanos em pesquisa;
  • contribuir, decisivamente, na otimização do tempo de permanência dos estudantes nos cursos de graduação e pós-graduação;
  • estimular pesquisadores envolvidos com a pesquisa e pós-graduação a envolverem estudantes de graduação em atividades cientificas;
  • proporcionar ao bolsista, orientado por pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como estimular o pensamento científico criativo pelo confronto direto com problemas de pesquisa.

Projetos

REÚSO DE ÁGUA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: UMA ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL PARA A REGIÃO DO SERTÃO DE CRATEÚS/CE

PIBIC 2017/2018
Resumo

Na microrregião do Sertão de Crateús, a falta de distribuição adequada de água é um caso antigo e que se apresenta até os dias atuais. O uso inadequado da água potável em atividades industriais agrava ainda mais a situação da região. A prática de viabilização da água de reúso representa uma das alternativas mais eficientes para amenizar o impacto do consumo de água potável na construção civil. Advinda de chuveiros, lavanderias, lavagens de máquinas da obra e demais fontes, a água cinza é aquela que já teve um contato direto ou intermediário com alguma atividade humana exceto aquelas derivadas de dejeto fisiológico. As águas cinza são classificadas quanto a sua origem e composição inicial e seu destino final, direcionará o tipo de tratamento a ser aplicado. Para a produção de concreto e argamassa o tratamento dever reter, eliminar ou controlar poluentes como minerais, matéria orgânica, óleos, além de vírus e bactérias. A água da chuva também pode ser uma alternativa por possuir menores restrições quanto a teores de poluentes, no entanto a sazonalidade e escassez pluviométrica no Sertão de Crateús é um limitante para esta técnica. O objetivo deste projeto é desenvolver métodos viáveis para que a água coletada no canteiro de obras, após passar por processos físico-químicos previstos pela Norma 15900 (ABNT), possa ser usada sem maiores restrições na construção civil. As amostras de águas residuais terão seus parâmetros verificados de acordo com a legislação Brasileira. Os corpos de prova de concreto e argamassa produzidos com águas de reúso serão estudados quanto a suas propriedades químicas, físicas e mecânica. Este projeto pretende dar um passo rumo à preservação do meio ambiente, reduzindo os impactos ambientais da construção civil na cidade de Crateús. O uso de água residual nos canteiros de obra favorecerá ainda a redução com gastos de água potável, pressão sobre as forças cépticas e estações de tratamento, além de resolver problemas de baixa percolação do solo.

ESTUDO DAS PROPRIEDADES DA FIBRA DE COCO E DA CASCA DO Z. JOAZEIRO NO TRATAMENTO DE EFLUENTES RESIDENCIAIS DA CIDADE DE CRATEÚS.

PIBIC 2017/2018
Resumo

Atualmente o aumento da demanda e a diminuição da oferta de água com qualidade é um dos problemas que vêm atingindo, principalmente, as regiões semi-áridas. O aumento da poluição dos mananciais e o crescimento populacional desordenado são alguns dos itens que contribuem para esse panorama. Nesse contexto aparece a necessidade de estímulos a práticas, programas e políticas que auxiliem na conservação e no aumento na oferta de água. A promoção de atividades conservacionistas como desenvolvimento de fontes alternativas para abastecimento de água, o reúso de águas residuais, entre outros, são algumas alternativas. Quanto ao reúso de águas residuais, existe a possibilidade de utilização dos efluentes domésticos. Dentro dessa perspectiva, enquadra-se esse projeto, que apresentará um estudo sobre a viabilidade do desenvolvimento de um biofiltro produzido de fibra de coco e da casca de Z. joazeiro para o tratamento e a posterior reutilização dos efluentes provenientes de tanques, máquinas de lavar roupas e lavatórios, em atividades domésticas e agrícolas. Este projeto tem por objetivo desenvolver um biofiltro composto de fibras de coco, como um material suporte para adesão de microrganismos, visto que é um resíduo de baixo custo e elevada disponibilidade, e das cascas do juazeiro como agente antimicrobiano e antioxidante para a remoção de resíduos poluentes presentes nos efluentes líquidos domésticos da cidade de Crateús. Para avaliar a eficácia do biofiltro serão estudadas as propriedades físico-químicas dos efluentes tratados. Como resultados, espera-se o desenvolvimento de uma alternativa de reuso de águas residuais domésticas, além da propor a adaptação das técnicas de tratamento de águas residuais. Espera-se, ainda, estudar a viabilidade e eficiência da água tratada para uso na agricultura e nas atividades domésticas, além de contribuir para as demandas tecnológicas das empresas da cadeia hídrica.

REAPROVEITAMENTO DE ÁGUA NA PRODUÇÃO DE ARGAMASSA DE REVESTIMENTO: UM ESTUDO DE CASOS NO SERTÃO DE CRATEÚS/CE

PIBIC 2018/2019
Resumo

Apesar de boas notícias de chuva no início do ano de 2018 na microrregião do Sertão de Crateús, as chuvas ainda não foram suficientes para suprir os baixos níveis dos mananciais que abastecem a cidade de Crateús no interior do estado do Ceará e a falta de distribuição adequada de água é um caso antigo e que se apresenta até os dias atuais. Neste sentido a viabilização do reuso de água na construção civil representa uma das alternativas mais eficientes para amenizar o impacto do consumo de água potável além de minimizar custos na obra. As águas cinza, advindas dos chuveiros, lavanderias, lavagens de máquinas da obra, são classificadas quanto a sua origem e composição. O uso das águas cinzas na construção civil depende de sua aplicabilidade final e do tipo de tratamento a ser aplicado. Para a produção de argamassa o tratamento deve reter, eliminar ou controlar poluentes como alguns minerais, matéria orgânica, óleos, além de vírus e bactérias. O objetivo deste projeto é desenvolver métodos viáveis para que a água coletada no canteiro de obras, após passar por processos físico-químicos previstos pela Norma 15900 (ABNT), possa ser usada sem maiores restrições na construção civil. As amostras de águas residuais terão seus parâmetros verificados de acordo com a legislação Brasileira. Os corpos de prova de argamassa produzidos com águas de reuso serão estudados quanto a suas propriedades químicas, físicas e mecânica. Este projeto pretende dar um passo rumo à preservação do meio ambiente, reduzindo os impactos ambientais da construção civil na cidade de Crateús. O uso de água residual nos canteiros de obra favorece ainda a redução com gastos de água potável, pressão sobre as forças cépticas e estações de tratamento, além de resolver problemas de baixa percolação do solo.

UTILIZAÇÃO DO BIOCOMPOSTO DE FIBRA DE COCO E DA CASCA DO Z. JOAZEIRO NO TRATAMENTO DE EFLUENTES

PIBIC 2018/2019
Resumo

A crescente demanda por recursos hídricos para atender aos múltiplos usos tem motivado diversas pesquisas e iniciativas concretas de reuso da água, dentre as quais a utilização de esgotos sanitários, principalmente em regiões de clima árido e semiárido, onde a disponibilidade limitada de água constitui obstáculo importante ao desenvolvimento. Neste cenário, a reutilização de águas torna-se imprescindível. Esta assertiva fundamenta-se no fato de que o reúso de efluentes insere-se no contexto de gerenciamento de recursos hídricos como uma alternativa de suprimento de demandas menos restritivas (auxiliando no combate à problemática da escassez hídrica). Aliado a este fato, ao reutilizar efluentes domésticos evita-se sua disposição no meio ambiente deixando de contaminar rios e córregos, mitigando de sobremaneira a poluição hídrica. Para auxiliar na solução do problema, este projeto busca propor metodologias, diretrizes e promover maior conhecimento a respeito das possibilidades de reutilização dos efluentes domésticos da cidade de Crateús, incentivando o reúso planejado. O objetivo deste trabalho é desenvolver um biocomposto e estudar suas propriedades para fins de tratamento de efluentes domésticos no município de Crateús. A metodologia utilizada será efetuada com a construção do biocomposto em diferentes composições, tendo uma garrafa pet como suporte, camadas do biocomposto fibra de coco/casca de joazeiro, areia fina, areia grossa e brita. Além disso, será construído outro filtro contendo apenas os tipos de areias e a brita, para fins comparativos. O efluente analisado será proveniente de residências selecionadas. Os resultados preliminares revelaram o potencial, principalmente na redução de bactérias termotolerantes, da fibra de coco para o tratamento de efluentes doméstico, visto que houve uma redução de 54,5% na demanda bioquímica de oxigênio, evidenciando seu potencial antibacteriano.

DISPOSITIVOS DE CRISTAL FOTÔNICO PROJETADOS PARA OPERAR NA FAIXA DE FREQUÊNCIA DE SUB-TERAHERTZ

PIBIC 2018/2019
Resumo

Os problemas de largura de banda limitada e escassez de espectro em frequências mais baixas são problemas para engenheiros e cientistas em geral. Uma solução para resolver parte destes problemas é a utilização de altas frequências. O regime terahertz, ainda não explorado, vem sendo bastante estudo nos últimos anos. O recente avanço na tecnologia de semicondutores resultou no desenvolvimento de dispositivos que ampliaram o interesse dos cientistas na exploração da faixa do TH. Neste projeto são apresentados o estudo do desempenho de circuladores, chaves ópticas e isoladores de cristal fotônico bidimensional com redes quadrada e triangular projetados para operar na faixa de frequência de sub-terahetz. Estes dispositivos ainda pouco explorados apresentam extensas aplicações no campo do eletromagnetismo aplicado. A parte teórica do projeto consiste na análise das matrizes de espalhamento dos dispositivos desenvolvidos. A construção dos dispositivos e respectivas simulações foram feitas usando o Software COMSOL Multiphysics 5.1, que permite desenhar as estruturas pretendidas e alterar os diversos parâmetros.